Aulas 2014


Leia Mais

Festival de Dança


Leia Mais

Curso de Oratória


ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO DE NOSSA ESCOLA APRENDEM
A ARTE DA RETÓRICA

O Curso de 0ratória tem como objetivo o aprimoramento de técnicas de comunicação oral e escrita, o desenvolvimento de fluência em público, combatendo o medo e ansiedade por meio de aulas práticas. Foi organizado pelos professores de Língua Portuguesa e Literatura para os alunos do Ensino Médio dos turnos matutino, vespertino e noturno, e prevê:

Técnicas de apresentação;
Expressão corporal;
Enfrentando o medo de falar;
Controle emocional;
Produção textual do gênero textual discurso;
Apresentação do estudante nas Sessões de Oratória.

Ao final do curso, será realizada uma Sessão Solene no Auditório da Escola, onde os estudantes que mais se destacaram, proferirão seus discursos para todos os alunos do Ensino Médio.

Leia Mais

Olimpíada de Língua Portuguesa


Nossa estudante Maihara Rafaela da Silva  representará Santa Catarina na  Olimpíada de Língua Portuguesa 2012

Ela escreveu um artigo sobre a revitalização da margem esquerda do Rio Itajaí-Açu, obra que vem sendo realizada pela Prefeitura Municipal de Blumenau, e foi classificada para a Etapa Regional do concurso.

A aluna Maihara Rafaela da Silva, do segundo ano do Ensino Médio (2NC3), irá representar Santa Catarina na Etapa Regional da Olimpíada de Língua Portuguesa. Ela produziu um artigo de opinião sobre o assunto que vem provocando muita polêmica em Blumenau e  foi   classificada na Etapa Estadual da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro.
“Decidi escrever sobre a margem esquerda do nosso Rio Itajaí. Depois das enchentes de 2008 e de 2011, ficou muito triste olhar para aquele lado do rio. Com a ajuda de pesquisas, descobri que já havia vindo dinheiro para a recuperação, o que aconteceu com o parecer dado pelo Comitê da Bacia do Itajaí, a polêmica gerada e qual foi a solução encontrada” – disse Maihara.
Acompanhada de sua professora de Língua Portuguesa, Edilamar Simão, a aluna irá viajar neste mês de  novembro para Belo Horizonte , onde participará de oficinas para a terceira etapa  da disputa, cuja fase nacional deve acontecer em dezembro, em Brasília.
A Etapa Regional tem por objetivo ampliar as habilidades de leitura e escrita e a visão de mundo dos alunos, além de desenvolver, com os professores, atividades destinadas a contribuir para a melhoria da qualidade do trabalho docente.
O tema central neste ano é "O Lugar onde Vivo", desenvolvido nos gêneros: poesia, memórias literárias, crônica e artigo de opinião.
O programa “Escrevendo o Futuro” é resultado de uma parceria entre o Ministério da Educação (MEC) e a Fundação Itaú Social (FIS). A coordenação técnica é do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação e Cultura e Ação Comunitária (CENPEC), com o apoio do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Educação (Consed) e da União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

A classificação de Maihara é motivo de orgulho para nossa Escola!
Leia Mais

PROGRAMA COOPER JOVEM

A partir da abertura dada pela LDB, o ensino do cooperativismo nas escolas viabilizou-se por meio do Programa Cooperjovem, criado no ano 2000, pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e executado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP). O objetivo do programa se torna realidade a partir da inserção de uma proposta educacional, baseada na relação ensino-aprendizagem, construída a partir de princípios, valores e da prática da cooperação que embasam a doutrina cooperativista. O programa reforça o 5º e o 7º princípios do cooperativismo, respectivamente: Educação, Formação e Informação; e Interesse pela Comunidade. Valorizando a formação/capacitação continuada, o Cooperjovem beneficia professores e alunos de cooperativas educacionais e da rede de ensino público de todo o país.
 Um programa social complementar à escola, com vistas à disseminação dos valores e princípios do cooperativismo pela via da educação cooperativa, seu público passa a ser também as comunidades onde se inserem essas escolas, transcendendo atividades meramente escolares e expandindo-se para práticas sociais mais amplas, a exemplo de ações empreendedoras e protagonistas da própria comunidade, apoiadas em novos saberes e meios de intervenção social de base cooperativa, em parceria com organizações cooperativistas.
Leia Mais

EEB Santos Dumont no Facebook

Seja nosso seguidor, também, no FACEBOOK:

EEB Santos Dumont

Leia Mais

Biologia - A sustentabilidade na produção dos alimentos - Todos os Primeiros Anos

Tema: Componentes Quimicos da matéria viva.

Ler o Texto e responder no caderno as questões que estão no fim do texto.
Esta atividade estará valendo 3 pontos.

A atividade será cobrada a partir do dia 24/05/2011.

Att. Professora Cristina Ines Soares Michels.

O salmão do Atlântico (Salmo solar), peixe típico do Hemisfério Norte, [e hoje em dia criado em “fazendas” aquáticas, alimentado com uma dieta carnívora. Para cada quilograma de salmão produzido nessas “fazendas”são necessários três quilogramas de outros peixes que são pescados nos oceanos. Isto é evidentemente um contrassenso do ponto de vista energético e, sobretudo, ecológico, pois provoca a diminuição das populações dessas outras espécies de peixes, alterando completamente a dinâmica desses ecossistemas.

Alem disso, a criação do salmão nessas “fazendas”causa um impacto negativo sobre a sobrevivência dos salmões que vivem livres na natureza. Um parasita desses peixes, o piolho-do-mar, infesta esses criadouros e, ao escapar deles, provoca um tremendo estrago nas populações dos salmões selvagens.

De acordo com estudos dos especialistas, em áreas onde há criadouros de salmões a taxa de sobrevivência do salmão selvagem cai, às vezes, para valores abaixo de 50%.

Isso mostra que, também na produção de alimentos, é necessário adotar uma visão que garanta um desenvolvimento sustentável. Antes de mais nada, é preciso adquirir certo grau de consciência a respeito de como os alimentos são produzidos. Pense no que você come. Como foi produzido esse alimento? Criar animais para a alimentação humana, por exemplo (sejam vacas, porcos ou frangos), requer quantidades muito maiores de água e de energia do que aquelas utilizadas para cultivar grãos e legumes.

Nesse sentido, pelo menos, é evidentemente mais saudável uma dieta vegetariana, ou pelo menos ovolactovegetariana, do que aquela baseada no consumo de carne.

De onde veio o seu alimento? Pode ser surpreendente descobrir quão grande é a distância percorrida por certos itens para chegar à sua mesa, especialmente se você consome muitos produtos industrializados. Da próxima vez que for ao supermercado, pense nisso e tente escolher alimentos naturais, produzidos o mais próximos possível da sua casa. Assim você estará contribuindo para reduzir o gasto de combustíveis e a poluição ambiental resultantes do transporte por longas distância, além de estimular a produção local, é claro.



Outro problema relacionado é o consumo de embalagens. Ao fazer compras, evite o uso desnecessário e excessivo de sacos e sacolas plásticas; dê preferência a sacolas de papel ou, melhor ainda, às de tecido, que você pode reutilizar.


EXPLORANDO AS IDEIAS DO TEXTO
1. Por que motivos a recomendação de uma alimentação preferencialmente vegetariana, para a espécie humana, faz sentido em termos ecológicos? Para elaborar sua resposta, leve em consideração tudo que você sabe sobre os diversos níveis tróficos de uma cadeia alimentar.

2. Em que sentido a distância entre o local em que certo alimento é produzido e onde será consumido pode significar em fator negativo para o ambiente?

3. Cite dois motivos pelos quais o uso de embalagens plásticas descartáveis deve ser evitado. Converse a respeito disso com seus colegas, e levem suas conclusões ao professor.
Leia Mais